Quer saber um pouquinho sobre mim?

 

     Eu me chamo Ângela Goulart Gontijo. Vivo em Janaúba, norte de Minas e já me considero uma "gorutubana do pé rachado". Vim para cá graças a um colega de escola que me deu duas lindas filhas e a oportunidade de hoje estar trabalhando com "suculentas".

     Desde pequena gosto de plantas e bichos. Cedo me apaixonei por São Francisco e Santa Clara. Meu saudoso pai tinha uma fazenda e sempre íamos nas férias prá lá. O tempo passava depressa demais... Com 15 anos minha amiga me chamou para ir, nas férias de fim de ano, trabalhar como voluntária em Israel. Foi uma viagem inesquecível! Trabalhamos com plantas ornamentais para exportação, com ovelhas e fizemos até treinamento militar nos finais de semana.

Lá decidi que faria Agronomia. E assim foi. Entrei na Universidade Federal de Viçosa em 1978 e me formei em julho de 1982. Comecei trabalhar logo que me formei em projetos nas diversas áreas da Agronomia. No início de 1983 estive algum tempo em Moçambique num projeto integrado de planejamento de produção agrícola e pecuária, para o abastecimento dos hotéis e, assim, incentivar o turismo como fonte de divisas para o país. Em 1987 fui para Itália fazer um curso de Especialização em Irrigação.

Em 1989 vim para Janaúba, e acabei me tornando produtora de banana e de plantas ornamentais. Em 1999 comecei o cultivo de suculentas. Estive em janeiro de 2000 visitando viveiros de suculentas na Flórida e em junho/julho de 2001 e 2002, na Califórnia. Lá, nessa época, acontece a “Mostra e Venda de Cactos e Suculentas” da CSSA Cactus and Succulents Society of America.

Em junho de 2005 visitei feiras de suculentas em Londres e aproveitei para conhecer a coleção de suculentas do "Kew Botanic Garden". Logo em seguida, ainda em 2005, infelizmente, precisei parar com a produção das suculentas. Mantive a coleção, mas, como não podia lhe dar muita atenção, acabei perdendo muitas espécies... algumas bem raras.

Em 2006 fui para Lavras, onde comecei um mestrado em Fisiologia Vegetal, mas tive muita dificuldade na área de Biologia Molecular e acabei desistindo do curso. Minha tese seria sobre Teratopia – aparecimento de espécies variegadas e crestadas.

Em julho de 2013, com muita alegria, recomecei meu trabalho com as suculentas. Hoje dispomos de 1050 m² de estufas cobertas e a nossa coleção conta com aproximadamente 1200 espécies, entre nativas e exóticas.

 

 

em Israel