08/11/2017

História das Suculentas

A primeira ilustração de uma suculenta, "Kalanchoe citrina", foi descoberta em 1989, nas paredes do grande templo de Thutmosis III (1501 - 1447 a.C.) em Karnak, Egito. Este rei egípcio ficou conhecido e lembrado como grande explorador militar, especialmente na vizinha Síria.

Nas 17 expedições que fez, trouxe para o Egito muitos exemplares de novos animais e muitas plantas foram saqueadas nessas suas andanças. Assim seu templo próximo em Luxor é repleto de ilustrações. Muitas delas, sem identificação, poderiam ter sido estilizadas ou fantasiadas, mas outras eram perfeitamente identificáveis.

Entre elas está a ilustração do "Kalanchoe citrina". Havia várias outras espécies de flores. Foram reconhecidas lírios e íris. Com base nisso Karnak ganha uma importância muito grande de provavelmente ter sido o primeiro Jardim Botânico do mundo.

As suculentas só foram reconhecidas como um grupo à parte no século dezessete. As datações de carbono mostram, em fósseis de suculentas encontradas, espécies de 24.000 anos. 
Os dois primeiros livros publicados sobre suculentas foram de Richard Bradley (1716-27) e de De Candolle,com ilustrações de Redouté (1799-1837). Ambos iam sendo publicados em série e ambos ficaram incompletos. 

Na América (México), sabe-se que, há 9.000 anos, Agaves e Cactos eram usados para alimentação. Há mais de 2.000 anos, no México, o Peiote (Lophophora williansii) era usado como droga e em cerimônias religiosas. Por conter mescalina e outros alcalóides produzia visões coloridas e sensação de euforia. 
Na Europa, os Aloes e as Euphorbias eram muito usados por suas propriedades medicinais.

Envio para todo Brasil

Agora você pode receber sua
suculenta em qualquer lugar do
país.

Entrega Rápida

Agilidade na preparação e envio
dos produtos

Garantia

Satisfação garantida ou
devolvemos seu dinheiro!

Formas de Pagamento

Segurança